Maria Vai à Praça: mas de onde ela veio? – Parte 1

Padrão

Tudo no mundo começou com um “SIM”!

Antes de qualquer coisa, eu preciso falar dela: Maria Cininha!

Nós nos conhecemos virtualmente no Facebook.

Uma amiga em comum comentou um post dela,

e conheci minha primeira “Maria”! As primeiras de infinitas….

E elas foram se multiplicando, invadindo minha imaginação com sua magia!

Sempre uma surpresa! Sempre uma alegria!

    

Nosso melhor amigo       

As Marias eram tantas! Uma mais encantadora que a outra!

Cada qual com sua estória e histórico, sua poesia e sua inspiração.

Cada Maria traduzindo uma de suas muitas faces e talentos:

a Maria Cininha que, ao passar do virtual para o real, ainda mais encanto revelou,

em sua infindável criatividade e beleza.

Seu fascínio pelas árvores, pelos passarinhos,  e a possibilidade de, com sua arte,

mudar o mundo para melhor, mesmo que fosse nas pequenas coisas,

inspirando mais alegria, mais beleza, mais consciência ecológica,

ambiental, mais amor entre as pessoas, e tantas outras coisas boas.

Quando resolvi escrever sobre ela, quis buscar a origem deste projeto, tema inicial

deste meu post: O projeto Maria vai à Praça.

Visitei seu primeiro BLOG e encontrei o que eu procurava:

“É dela a mais refrescante sombra. 

É dela o tapete colorido que se estende sobre a calçada suja. 

É ela que enfeita meu cabelo com delicadas flores,

só porque passei por perto.

É nela que amarrei minha primeira balança,

e acreditei alcançar as estrelas…”

 ...

As árvores na vida de Maria Cininha

No ano de 2010, Maria Cininha caminhava pelas ruas da Vila Mariana quando

reparou nele: um ipê cimentado na calçada. Ficou revoltada!

Mas em lugar de ficar reclamando sem fazer nada de concreto, como muitas

vezes fazemos, resmungando: “Coitadinho!”….. “Que injustiça!”

“Que crueldade!””A culpa é do governo..!”…. ela foi atrás de mundos e fundos,

e lutou por dois meses junto aos órgãos públicos para salvar esta árvore.

Uma árvore adulta plantada num minúsculo canteiro de terra, que ainda por cima,

havia sido cimentado.

Em setembro de 2010, finalmente ela conseguiu legalmente que a Prefeitura Municipal

de São Paulo retirasse aquela capa de concreto e devolvesse o espaço de terra à árvore.

Uma vitória!

Pode parecer uma pequena vitória, isolada, que não mudou nada na sua vida,

ou na rotina de destruição de outras árvores plantadas nas ruas de São Paulo…..

Mas o que realmente aconteceu, foi que… Maria descobriu sua força!

Maria descobriu que tinha voz, e que sabia muito bem o que precisava fazer

com sua arte e consciência, para melhorar o mundo.

Começando pela sua cidade. Seu bairro. Seu quarteirão.

Maria resolveu que estava na hora de arregaçar as mangas e começar

a matutar um projeto que defendesse as árvores….. e as Praças!

… e foi assim que começou o projeto Maria vai à Praça!

Em 2015, depois de muito trabalhar, projetar e planejar,

o projeto Maria Vai à Praça está saindo do virtual e

invadindo as praças com sua criatividade!

Você quer saber mais? Quer participar?

Então aguarde a “Parte 2” …

Aqui contei como surgiram as Marias de Maria Cininha, e como, olhando

a situação precária das árvores na cidade de São Paulo, o sufoco e descaso

nas praças, elas descobriram suas possibilidades e vozes, para nos inspirarem

a fazer algo para tornar este mundo um lugar melhor para viver!

Nos vemos amanhã!

“Em que praça ou pracinha perto da sua casa você poderia sentar em um banco,

debaixo de uma árvore, comer uma maçã e ler um livro despreocupadamente?”

Saiba um pouco mais sobre a artista Maria Cininha:

Amanhã tem mais!

Aguarde a “Parte 2” para saber mais

sobre o Projeto “Maria Vai à Praça”!

Anúncios

»

  1. Adorei Debbynha…As Marias são tão encantadoras que até o seu post ficou encantado também com tantas cores….O Facebbok nos trouxe essas marias tão lindas e a sua Maria Mor…nossa querida amiga Maria Cininha….hihihihihih…Bjinhos…Amanhã volto para ler a parte 2….:)

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ai fiquei prosa, emocionada e chorosa… srsrsrsrs obrigada Deborah por abraçar a causa das Marias, ou melhor a causa da cidade… Outro dia li em um livro que ninguém é capaz de contar suas preocupações para uma gondola de supermercado, mas é capaz de contar para uma árvore. rsrsrs Achei muito divertido, mas ao mesmo tempo vi que nós nos afastamos da natureza, como se dela não fizemos parte. De parte de As marias fazem parte apesar de serem de papel, e nos com nossa fé e boa vontade também. Obrigado. E obrigado Claudinha, adorei o Maria Mor, toda prosa! Beijos em ambas ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • CIninha querida, emocionada fico sempre com tudo que você faz! Sua inspiração é tanta que são precisos muitos posts para darem conta de todas as mensagens de amor e alegria que suas marias nos passam! Na Parte 2, Maria vai à praça.. e quem sabe num próximo, eu irei também! Bjs

      Curtir

  3. Pingback: Maria Vai à Praça – Parte 2: Conhecendo o Projeto e agindo | Segredinhos da Deb

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s